terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Grandes Nomes da TV 3 - Marieta Severo

Marieta da Costa Severo Freire nasceu no Rio de Janeiro, em novembro de 1946. Seu sonho era ser bailarina, e estudou balé clássico durante muitos anos. Mas, aos 16 anos (1962), mudou de idéia. Foi nesse ano que ela ingressou no curso de Teatro Tablado, da professora Maria Clara Machado (autora de Pluft, O Fantasminha).

Em 1964, Marieta se casou com Carlos Vergara, mas se separou em 1965. Em 1966, se casou com o cantor Chico Buarque de Hollanda, e ficou casada com ele até 1999.

Sua carreira no teatro começou em 1965, com as peças Society em Baby Doll e Feitiços de Salém. Depois, faria Se Correr o Bicho Pega e Se Ficar o Bicho Come (1966), Roda Viva  (1968), Ligações Perigosas (1987), Antígona (1982), Torre de Babel (1995), Quem Tem Medo de Virgínia Woolf (2000), Sonata de Outono (2005) e As Centenárias (2007), entre outras.
Na televisão, sua estréia foi na novela O Sheik de Agadir (1966), onde fazia a Princesa Éden, que depois se revelaria a assassina de grande parte do elenco, usando o pseudônimo de "Rato". Nessa novela trabalharam Yoná Magalhães, Leila Diniz, Mário Lago, Márcia de Windsor, Emiliano Queiroz e Cláudio Marzo, entre outros. 


Entre 1967 e 1968, Marieta Severo deu vida a Thana, na novela O Homem Proibido, novela escrita por Glória Magadan e dirigida por Daniel Filho. Ela trabalhou com Carlos Alberto, Yoná Magalhães, Mário Lago, Emiliano Queiroz, Paulo Gracindo, Cláudio Cavalcanti, Rubens de Falco e Norma Blum, entre outros.


Nessa época, a Ditadura "endureceu", e o casal Chico Buarque e Marieta Severo (foto acima) se auto-exilaram na Itália, permanecendo anos por lá. Em 1969, nasceu a primeira filha do casal, Sílvia Severo Buarque de Hollanda. Ela possui cidadania italiana, pois nasceu em Roma. O padrinho foi o cantor,  compositor e poeta Vinícius de Moraes (1913/1980).


Na volta para o Brasil, Marieta atuou na novela E Nós, Aonde Vamos? (1970) da escritora Glória Magadan, e nas peças O Casamento do Pequeno-Burguês (1974), Os Saltimbancos (1977), Ópera do Malandro (1978), Amadeus e Aurora da Minha Vida (1982), entre outras. Ainda em 1970, nasceu sua segunda filha, Helena Buarque. A terceira, Luísa Buarque, nasceu em 1975.


Ela só retornou à televisão (e à Rede Globo)na década de 80, na novela Champagne (1983), de Cassiano Gabus Mendes. Nela, ela vivia Dinah Brandão, uma mulher sofredora, casada com Zé Brandão (Jorge Dória) e mãe de Greg (Cássio Gabus Mendes). A novela ainda tinha Antônio Fagundes, Irene Ravache, Armando Bógus, Beatriz Segall, Cecil Thiré, Cláudio Corrêa e Castro, Isabel Ribeiro, Tony Ramos e Lúcia Veríssimo, entre outros, no elenco.


Em 1984, ela fez o papel de Catarina de Oliva Salgado, na novela Vereda Tropical. Catarina era filha de Vicente de Oliva Salgado (Walmor Chagas) e irmã de Verônica (Maria Zilda), Gabi (Cristina Pereira) e Victor (Lauro Corona). Na trama, Victor tem um filho com Silvana (Lucélia Santos), chamado Zeca (Jonas Torres). Oliva decidiu brigar pela guarda do menino, quando seu filho morreu. Mas Silvana contava com a ajuda de Luca (Mário Gomes). Luca era filho de Dona Bina (Geórgia Gomide), e irmão de Marco (Paulo Betti), Angelina (Angelina Muniz) e Francesco (Paulo Guarnieri).


Entre 1985 e 1986, Marieta deu vida à personagem Suzana, na novela Ti Ti Ti. Ela era ex-mulher de Ariclenes (Luís Gustavo) e mãe de Luti (Cássio Gabus Mendes). Ari, como era conhecido, odiava André Spina (Reginaldo Farias), que usava o pseudônimo de Jacques Leclair, um grande costureiro. Ari se "transformou" em Victor Valentin, e os dois geram uma "guerra de costureiros". Para piorar, o filho de Ari, Luti, se apaixonou pela filha de André, Valquíria (Malu Mader). André mantinha um relacionamento com Jaqueline (Sandra Bréa) e ainda "aprontava" com Clotilde (Tânia Alves), sua secretária. Mas quem fazia as roupas de Victor Valentin era Cecília (Nathália Timberg), que acabou se revelando mãe de André. Essa novela marcou a estréia dos atores Tato Gabus, Betty Goffman e Guilherme Fontes, na Globo. E também tinha Myrian Rios e Paulo Castelli, entre outros. Acima, Marieta e Luís Gustavo.


Em 1989, foi a vez dela viver Madeleine Bouchet, uma feminista, na novela Que Rei Sou Eu? A novela se passava no Reino de Avilan, governado pela Rainha Valentine (Tereza Rachel). Essa rainha era dominada por seus conselheiros reais: Crespy (Carlos Augusto Strazzer), Gaston (Oswaldo Loureiro), Bidet (John Herbert), Gerárd (Laerte Morrone) e Vanolli (Jorge Dória). O único conselheiro honesto era Bergeron (Daniel Filho), marido de Madeleine. Para completar a trama, havia Jean Pierre (Edson Celulari), Aline (Giulia Gam), Ravengar (Antônio Abujamra), Pichot (Tato gabus Mendes), Princesa Juliette (Cláudia Abreu), Suzane (Natália do Vale) e Corcoran (Stênio Garcia), entre outros. Acima, Marieta e Daniel Filho.


Em 1994, ela viveu a interesseira Loreta Pellegrini, sobrinha de Raul Pellegrini (Tarcísio Meira), que era casado com Teresa (Eva Wilma) e depois se casou com Lídia Laport (Vera Fischer). Raul era inimigo de Alice (Cláudia Abreu), uma jovem idealista, que se envolvia com Nando (Rodrigo Santoro) e depois com Rodrigo (Fábio Assunção).


Em 2000, Marieta viveu Alma Flora (acima), na novela Laços de Família, de Manoel Carlos. Alma era tia de Edu (Reynaldo Gianecchini) e Júlia (Júlia Almeida) e mulher de Danilo (Alexandre Borges). Edu se envolvia com Helena (Vera Fischer), uma mulher mais velha, que ele conheceu num acidente, em frente à livraria Dom Casmurro, de Miguel (Tony Ramos). Mas, com o tempo, ele acabou se envolvendo com Camila (Carolina Diekmann), filha de Helena. Alma ainda teve o dissabor de descobrir que sua empregada, Ritinha (Juliana Paes) estava grávida de Danilo...


De 2001 até hoje, Marieta Severo vive a Dona Nenê, no seriado A Grande Família. Dona Nenê é casada com Lineu (Marco Nanini) e é mãe de Bebel (Guta Stresser) e Tuco (Lúcio Mauro Filho), além de ser sogra de Agostinho (Pedro Cardoso), entre outros personagens. Acima, Marieta e Marco Nanini.


Marieta Severo atuou em muitos filmes, dos quais destacamos: Todas As Mulheres do Mundo (1967), Bye Bye Brasil (1979), Leila Diniz (1987), Carlota Joaquina, Princesa do Brazil (1995), Guerra de Canudos (1997), Castelo Rá-tim-bum (1999), Cazuza - O Tempo Não Pára (2004), Irma Vap - O Retorno (2006), A Grande Família - O Filme (2007) e Quincas Berro D'Água (2010), entre outros. Acima, a capa do filme Carlota (1995).


Na vida pessoal, Marieta vive atualmente com o diretor teatral Aderbal Freire Filho (desde 2004), e é sogra do ator Chico Diaz (casado com Sílvia) e do cantor, compositor e percussionista Carlinhos Brown (casado com Helena). 


Por toda essa obra é que Marieta Severo merece nossa homenagem.


video







Nenhum comentário:

Postar um comentário