sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Grandes Nomes da TV 5 - Tarcísio Meira e Glória Menezes (Parte 2)

Janete Clair (1925/1983) se inspirou em As Três Máscaras de Eva (Corbett H. Thigpen e Hervey M. Cleckley), Os Irmãos Karamazov (Dostoiévski) e Mãe Coragem (Bertold Brecht), para escrever a novela Irmãos Coragem, que foi ao ar entre junho de 1970 e julho de 1971. Com direção de Daniel Filho, essa novela tinha, além de Tarcísio (João Coragem) e Glória (Lara/Diana/Márcia), a participação Cláudio Marzo (Duda), Cláudio Cavalcanti (Jerônimo), Regina Duarte (Ritinha), Zilka Salaberry (Sinhana), Lúcia Alves (Potira), Emiliano Queiroz (Juca Cipó), Sônia Braga (Lídia, primeiro personagem na TV), Gilberto Martinho (coronel Pedro Barros) e muitos outros.
A história se passava na cidade fictícia de Coroado, onde vivia Sinhana e seus filhos, os "irmãos Coragem". João descobriu um diamante, mas foi roubado pelo coronel Pedro Barros. Ao mesmo tempo que lutava contra o coronel, João se apaixonava por sua filha Lara, que tinha uma doença: múltiplas personalidades. Assim, ela também era Diana, seu extremo oposto, e Márcia, que ficava no meio termo entre as outras duas. Jerônimo entrava para a política e Duda jogava no Flamengo. Abaixo, Tarcísio e Glória em Irmãos Coragem:


Em 1971, os dois voltaram a atuar juntos na novela O Homem Que Deve Morrer, também de Janete Clair e também dirigida por Daniel Filho. Nela, Tarcísio era Cyro Valdez e Glória era Ester. Ela durou até 1972.

Em 1972, o casal interpretou, respectivamente, Dom Pedro I e a Marquesa de Santos, no filme Independência ou Morte, de Carlos Coimbra. O ator Dionísio Azevedo interpretou José Bonifácio, Kate Hansen foi a Imperatriz Leopoldina, Manuel da Nóbrega foi Dom João VI e Heloísa Helena foi Carlota Joaquina. Abaixo, cartaz do filme:



Em 1973, os dois estiveram juntos nas novelas Cavalo de Aço (novela de Walter Negrão) e O Semideus (novela de Janete Clair). A primeira foi ao ar entre janeiro e agosto de 1973, e contava a história de Rodrigo Soares (Tarcísio Meira), que voltava para a cidade de Vila da Prata, no Paraná, a  fim de se vingar do Sr. Max (Ziembinski), que havia assassinado sua família. Mas ele ficava dividido entre uma fazendeira rude, chamada Miranda (Glória) e Joana (Betty Faria), a filha de Max. Mas na metade da novela, Max foi assassinado. E, no fim, descobria-se que a assassina era Lenita (Arlete Salles).
A segunda novela, O Semideus, contava a história de Hugo Leonardo (Tarcísio), que era sequestrado por seus inimigos, Alberto (Juca de Oliveira), Gildo (Felipe Carone) e Dr. Lafayette (Paulo Padilha). Em seu lugar, era colocado um sósia, Raul (o próprio Tarcísio). Apenas Ângela (Glória), namorada de Hugo, e o jornalista Alex (Francisco Cuoco) é que desconfiavam dessa "mudança", principalmente quando o sósia trocava Ângela por Estela (Maria Cláudia). Abaixo, Francisco Cuoco, Glória Menezes e Tarcísio Meira em O Semideus:


Em 1975, os dois fizeram novelas separadas:

Tarcísio fez Escalada, novela de Lauro César Muniz, dirigida por Régis Cardoso, que contava a história de Antônio Dias, comerciante do interior de São Paulo, que ia melhorando de vida, e das suas mulheres: Cândida (Suzana Vieira), com quem tinha um casamento infeliz e Marina (Renée de Vielmond), a paixão de sua vida. Ele também participava da construção de Brasília. E essa novela foi a estréia do ator Ney Latorraca na Globo.

Enquanto isso, Glória fez a novela O Grito, de Jorge Andrade, com direção de Walter Avancini, Gonzaga Blota e Roberto Talma. Ela era Marta, uma ex-freira que ia morar no Edifício Paraíso com o filho Paulinho (Marcos Andreas). Neste edifício, havia desde pessoas pobres (zeladores), pessoas de classe média e alguns membros da família que construiu o prédio. A criança sofria de pesadelos e gritava durante a noite, fazendo com que alguns moradores quisessem expulsá-los dali. Walmor Chagas (Gilberto), Yoná Magalhães (Kátia), Rubens de Falco (Agenor), Tereza Rachel (Débora), Elizabeth Savalla (Pilar), Ney Latorraca (Sérgio), Isabel Ribeiro (Lúcia) e Lídia Brondi (Estela, seu primeiro papel na Globo), também estavam nessa novela.

Em 1976, Tarcísio Meira fez o papel de Dom Pedro I, na novela Saramandaia, de Dias Gomes (ele tinha feito o mesmo papel no filme Independência ou Morte, em 1972);

Em 1977, os dois voltaram a atuar juntos na novela Espelho Mágico, de Lauro César Muniz, com direção de Daniel Filho. A chamada da novela já resumia o seu conteúdo:

Tudo o que você sempre quis saber sobre a vida no teatro, cinema e TV. Espelho Mágico, onde a vida imita a arte;


Juca de Oliveira era Jordão Amaral, autor da novela Coquetel de Amor, que era dirigida por João Gabriel (Daniel Filho). Tarcísio era Diogo Maia, um ator famoso, que vivia o personagem Ciro na novela Coquetel de Amor, e Glória era Leila Lombardi, que vivia Rosana, na mesma novela. Os dois tinham um romance, mas a filha de Leila, Beatriz (Lídia Brondi) era contra, pois queria a mãe junto do pai (o autor Jordão Amaral). Por outro lado, Jordão estava casado com a atriz Nora Pellegini (Yoná Magalhães), e a tinha escalado pra novela, num papel secundário, gerando conflitos entre o casal. Nessa novela, ainda tinham outros "astros": Sônia Braga (Cíntia), Tony Ramos (Paulo, seu primeiro papel na Globo), Sérgio Britto (Gastão), Vera Fischer (Diana, seu primeiro papel na Globo), Pepita Rodrigues (Bruna) e muitos outros. Abaixo, Glória Menezes e Tony Ramos, em Espelho Mágico:


Em 1978, o casal não fez novelas. Mas em 1979, voltaram em novelas separadas, novamente:

Glória Menezes trabalhou na novela Pai Herói, escrita por Janete Clair e dirigida por Gonzaga Blota. Nela, vivia Ana Preta, dona da casa de samba Flor de Lys, que se envolvia com André (Tony Ramos), que também gostava de Carina (Elisabeth Savalla). André tentava descobrir quem matou seu pai (Lima Duarte) e acabava se tornando antagonista de Bruno Baldaracci (Paulo Autran). A grande pergunta dessa novela foi "quem matou César Maia (Carlos Zara)?" E a resposta foi: Bruno, que escapava vestido de pierrô. Abaixo, Glória Menezes como Ana Preta:


Assim que acabou Pai Herói, começou Os Gigantes, novela de Lauro César Muniz, dirigida por Régis Cardoso e Jardel Mello. Nela, Tarcísio era Fernando, que era apaixonado por Paloma (Dina Sfat). A moça era uma jornalista, e voltara à sua cidade natal para ver seu irmão Fred (Roberto de Cleto), que estava entre a vida e a morte. Paloma desligava os aparelhos, provocando a morte do irmão e criando uma intriga com sua ex-cunhada, Veridiana (Suzana Vieira). Também ficava dividida entre o amor de Fernando e Chico Rubião (Francisco Cuoco). Também trabalharam nessa novela: Vera Fischer (Helena), Lauro Corona (Polaco), Lídia Brondi (Renata), Joana Fomm (Vânia) e outros. Mas a novela não fez sucesso, pois tinha um clima muito pesado (morte, eutanásia, suicídio, etc.). Abaixo, Francisco Cuoco, Tarcísio Meira e Dina Sfat:


Para finalizar essa segunda parte da história do casal Tarcísio e Glória, um trecho de Irmãos Coragem (1970):

video

Logo postarei a parte 3...

Nenhum comentário:

Postar um comentário